Como fazer uma confecção virar marca

Você tem uma confecção e quer se posicionar como marca? Quando falamos em construir uma marca de roupa, não estamos falando apenas de ter um nome impactante e uma logo memorável. Claro que isso são atributos importantes quando falamos de marca. 

Aliás, se você der um google por ai, vai ler um monte de conteúdo sobre marca, falando de definir o público-alvo, identidade, propósito da marca, análise de mercado e bla bla bla. 

Sério, tudo isso é importante? Sim, mas não é isso que vai fazer com que sua confecção de roupa vire uma marca de sucesso

Deixe isso com sua equipe de marketing! Claro que estou supondo (afinal você está aqui porque provavelmente você pretende que sua confecção vire uma marca) que seu departamento de marketing esteja bem estruturado e tudo mais. Ufa! 

O que você precisa realmente focar é na estratégia para construir sua marca. Mas vamos começar pelo começo. Afinal, o que é uma marca?


Conceito de Marca

A palavra marca é a tradução de brand em inglês. A palavra brand vem do termo nórdico “brandr” que significa queimar. 

Cena da novela o rei do gado, para ensinar quem tem confecção sobre a história da marca.
Cena da Entrada de o Rei do Gado

Sabe quando o pessoal marca o gado com o um ferro quente, igual na entrada da novela rei do gado (olha você denunciando a sua idade!)?

Pois bem, a ação de gravar o gado com ferro quente deixando um símbolo para atestar a origem do produto deu origem ao conceito de MARCA

Está decepcionado? Pois foi marcando o gado na Idade Média, que começou a surgir o conceito de marca. 

Também, nessa mesma época, foram verificadas as marcações que artesãos e fabricantes faziam em suas peças para provar a origem delas.


Ter uma Marca de Sucesso 

Quando peço para você pensar sobre o que é marca, o que te vem à cabeça? Logomarca? Cores?  Confiança? Qualidade? Reputação? Nome? Produto? Promessa?

Muito mais que apenas atributos gráficos, a marca está mais relacionada com o que as pessoas pensam e sentem sobre ela.

Em resumo, você tem uma marca quando seu produto marca as pessoas. Ou seja, quando o consumidor (aqui estamos falando de consumidor final, ok?) lembra da sua marca, você marcou a mente dele. Entende?

Porque a marca é justamente um negócio para ficar marcado.

Ela também é definida pela forma como as pessoas enxergam você ao interagir com sua confecção, e aqui incluímos tanto as impressões que você consegue influenciar quanto as que estão fora de seu controle.

Aliás é nesta mesma lembrança, que reside o famoso “valor da marca”. O que isso quer dizer? De maneira bem clara, o valor da marca é alto quando a marca é lembrada de maneira positiva pela maioria das pessoas.


O que marca a sua marca?

Além do nome e identidade visual de todo o composto de marca, podemos também pensar em atributos que podem marcar uma identidade na roupa que você confecciona.

A modelagem, por exemplo, é algo bem expressivo para marcar a sua marca na mente de alguém. Uma roupa de veste bem, que tem um corte impecável, que valoriza a curvatura do corpo… nada tão maravilhoso como isso não é mesmo?

Foto de uma modelo retirada do site da Burberry do Brasil para explicar aos donos de confecção sobre assinatura de estilo da marca.
Icônica estampa xadrez da Burberry

Assinatura de estilo também é fundamental. Por exemplo, se você pegar um produto Burberry você já consegue sacar de quem é o produto antes de ver o nome da marca. Impossível não reconhecer de cara o icônico xadrez Burberry.

Outro exemplo clássico, Louis Vuitton com sua estampa de milhões ou até mesmo a listra verde e vermelha da Gucci. A logomarca também é um atributo que pode se tornar uma assinatura de estilo como vemos na Calvin Klein.  

Um detalhe fundamental para ter uma marca de sucesso: tenha um clássico. Como toda banda de sucesso tem seu clássico, uma marca de sucesso também precisa ter. Se você não tem um estilo/produto clássico, você não tem história. 

Como ter um clássico? Tem muito produto na sua confecção que foi estouro de venda, certo? São aquelas peças que chegaram na loja e pronto, foram estouro de vendas. Consegue enxergar algo similar nesses produtos?

Por exemplo, o clássico da Dudalina são as camisas sociais, o clássico da Hering são as camisetas, da Levi’s o jeans Levis 501, Farm são as estampas alegres e contemporâneas da natureza brasileira. A lista de exemplos é infinita, mas acredito que vocês já entenderam o conceito. 


Confecção consegue virar marca?

Afinal, como criar uma marca de roupa? Muitas pessoas pensam que é fácil começar uma marca. 

Quantas e quantas vezes pudemos ver nos desfiles Fashion Week da vida, ou até mesmo nas ruas dos grandes polos de confecção, dezenas de marcas surgindo, ou melhor, brotando. E misteriosamente, da mesma maneira que nasceram do nada, depois de alguns anos nunca mais ouvimos falar delas.

E o que mais me deixa triste, é que são pessoas inteligentes que gerenciarão as marcas, porém fazer marca não é um passo a passo receita de bolo. Não é tão simples. 

Uma pessoa fazendo roupa em sua confecção para alavancar sua marca.
Transformando roupa em marca

Mas nem tudo é drama na vida de confecção. Felizmente, também pude ver muitas confecções pequenas nascerem nas feiras de rua, sem saber o que é persona, branding, segmentação de mercado… E hoje estão milionárias. Realmente, no dia a dia, na história do verdadeiro “mão na massa” a história é outra.

Já vi também tantas vezes confecções acreditarem que por terem dinheiro para fazer “barulho” de marketing, iriam garantir o seu sucesso. Quanta inocência. 

Para construir uma marca não basta você procurar um passo a passo na internet que vai te ensinar a definir avatar, ter uma mídia social organizada, ou até a fazer tráfego pago.

Quero deixar claro que todo conhecimento adquirido para fazer uma marca virar sucesso, é muito mais que bem-vindo. Mas não é só isso que define o sucesso de uma marca ou não. 

Você tem que alinhar todo conhecimento sobre como construir uma marca, com aquilo que vocês sabem fazer de melhor: confeccionar roupa. O princípio de tudo é produção, é saber fazer de maneira eficiente a roupa que vai levar a marca para marcar a vida de alguém.


Antes de nascer a marca, precisa nascer a produção 

Um exemplo muito prático que eu gosto de dar, é a trajetória da história do polo de Santa Catarina. Lá estão algumas das grandes marcas de roupa do Brasil. Santa Catarina é um polo com muitas histórias, mas uma coisa eu te garanto: lá eles primeiro aprenderam como fazer produto de maneira eficiente (gasto de matéria prima, tempo e processos otimizados) para conseguirem construir suas grandes marcas de sucesso.

Mas vamos supor que a sua produção seja alinhada, otimizada, e que você tem uma equipe tão engajada, que os problemas nem chegam aos seus ouvidos. Se você for construir uma marca, qual a primeira coisa que você precisa pensar?

Nome da Marca

Pensar um nome para sua marca é duro. Você está definindo toda a identidade de sua marca com uma única decisão. É como dar um nome a uma criança: ela vai lidar com ele para o resto de sua vida. 

Mas a maioria dos nomes são filhos prematuros. Nasce primeiro a marca para depois os confeccionistas pararem para refletir que o nome não foi tão legal assim. 

Em primeiro lugar, quando falamos em nome da marca, é preciso pensar que o som e a sensação do nome da sua marca devem sugerir o que ela é. Por isso, escolha um nome que seja claro e fácil de pronunciar. Isso levando em conta fonética, escrita e sonoridade.

Eu vejo tantas marcas que escolhem um no super “blaster, master, top” que as pessoas não conseguem pronunciar. Sabe o que acontece? Acabam apelidando a marca, e claro que o que mais “marca” a mente das pessoas são os nomes fáceis.

Registro da Marca

De acordo com o site do Ministério da Economia, para ter exclusividade sobre a marca é preciso fazer seu registro no INPI. Para fazer o registro também é preciso ver se a marca ainda não é registrada. 

Logo do INPI explicando para quem tem confecção, como registrar sua marca.
Fonte Wikipédia

Registrar sua marca junto ao INPI e cuidar deste registro durante toda a vigência é fundamental para que a confecção tenha propriedade da marca e não a perca para um concorrente, por exemplo.

Além disso, esse registro garante o direito à exclusividade, ou seja, se algum concorrente usar sem permissão, o detentor poderá acioná-lo judicialmente.

Para garantir que o processo seja feito de maneira correta, é indispensável se consultar com um profissional especializado em registros de marcas, no início de qualquer marca. Este profissional fará as buscas e registros necessários para que qualquer tipo de imprevisto aconteça.

Vou aproveitar o conteúdo no blog para indicar a Luisa Caldas, minha amigona especialista em propriedade intelectual que faz todo esse serviço para mim. A empresa Uniellas cuida de todas as marcas que eu tenho, tanto de roupas como minhas empresas. Você pode entrar em contato pelo instagram ou até mesmo pelo whatsapp

Deixando o jabá gratuito de lado e voltando ao que interessa, uma outra dica importante é verificar também questões como ig no instagram, facebook, tiktok e outras redes sociais. Verifique também se há disponibilidade de domínio para o site, mesmo que for apenas institucional. 


Qual a vantagem da confecção virar uma marca?

Quando você consegue conciliar o que você já tem de melhor, que é o seu produto com a construção de marca, algo mágico acontece. Você consegue agregar valor ao seu produto, saindo então da guerra de preço. 

Um ponto muito importante que gostaria de esclarecer aqui. 

Sim, agora chegamos no momento #eduardosincerão. Se a sua marca for desconhecida, o efeito do seu nome é nulo e a marca, em si, não existe. Lembre-se que o nome patenteado não te garante ter uma marca de valor. Afinal, como já expliquei anteriormente, a marca existe quando consegue marcar alguém. Então por favor, não tente vender a sua “marca” que ninguém conhece por milhões (não tem sentido, entende?). 


Conclusão de tudo isso

É importante aqui deixar claro que antes de ter uma marca de sucesso, é preciso construir uma marca e isso exige um processo contínuo de estratégias.

Aqui me estendo a para comentar um ponto importante (apesar desse fator incomodar alguns leitores, por fazerem justamente o oposto). 

Pare e pense aqui comigo, as maiores marcas do mercado se construíram com comunicação voltada para onde? Para o atacado ou para o varejo? 

Se você quer realmente que sua confecção seja uma marca, o consumidor final precisa te procurar nas lojas dos seus clientes! Fale para o varejo, pelo amor de Deus criatura! 

Mas não se esqueça, independente de ser marca ou não, o segredo do sucesso de uma confecção começa na produção. O produto sempre será rei. 

Abraços e fique com Deus. 

Eduardo Cristian

MBA FAshion Day 2022. O maior treinamento de confecção

1 comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: